Alguns negócios já apostam no pagamento via celular, já que o uso massivo de smartphones se configura em oportunidade.

nfc

Oferecer diferentes formas de pagamento contribui para o aumento das vendas e, consequentemente, o desenvolvimento do negócio. Além disso, podem se tornar diferencial competitivo. Por isso, neste post, apresentamos os meios de pagamento disponíveis e as novas tendências, como o Near Field Communication (NFC) – tecnologia que possibilita o pagamento por meio do celular. Com o uso massivo de smartphones no cotidiano dos brasileiros, o pagamento por NFC se configura como oportunidade.

Meios eletrônicos

Em 2013, o uso de meios eletrônicos para pagamentos, pela primeira vez, ultrapassou o uso do dinheiro vivo. Em 2014, o mercado brasileiro de cartões de crédito e débito movimentou cerca de R$1 trilhão. A expectativa é de que em 2018 sejam usados em 50% das compras realizadas pelos brasileiros.

Segundo pesquisa realizada em 2013 pela Datafolha, identificou que os meios eletrônicos concorrem principalmente com o dinheiro; todos os empreendimentos de pequeno porte entrevistados aceitam cartão de débito, porém, apenas 96% aceita cartão de crédito; e depois do dinheiro (35%), o crédito (31%) tem a maior participação no faturamento dos empreendimentos, seguido do débito (22%).

Confira mais dados de 2013:

Débito

– Registrou 4,7 bilhões de operações. Valor médio por operação: R$ 317;

– R$ 292 bilhões de faturamento;

– É, em geral, utilizado em compras menores, como alimentos, combustível, restaurantes, lazer, farmácias e serviços;

– Vantagem: praticidade e portabilidade;

– Desvantagem: custo de taxa de manutenção.

Crédito

– Registrou 4,4 bilhões de operações. Valor médio por operação: R$ 71;

– R$ 554 bilhões de faturamento;

– Substitui ao cheque, débito e dinheiro na compra de bens duráveis, passagens, materiais de construção, hotéis, pousadas e vestuário;

– Compra de vestuário e artigos de moda são realizados, em sua maioria, com cartão de crédito, tanto presencialmente quanto on-line

– Vantagem: portabilidade e facilidade de pagamento, parcelamento, financiamento pré-aprovado, aumento do poder de compra;

– Desvantagem: custo de taxa de remuneração para operadoras de cartão.

Compras online

A e-Bricks Digital e M. Sense realizaram em 2013, pesquisa em cinco regiões do País, para avaliar a modalidade de compras on-line e obtiveram os seguintes resultados:

– 34% dos consumidores têm entre 25 e 34 anos;

– 47% pertencem à classe B/C (rendimentos entre R$ 1,2 mil a R$ 5 mil);

– 80% das mulheres e 83% dos homens já realizaram compra online;

– 38% das mulheres já compraram sapatos, bolsas e acessórios pela internet.

Produtos mais comprados por homens e mulheres, segundo estudo da Forrester Research:

Mulheres

– Livros (33%);
– Moda (32%);
– Sapatos (30%);
– Cosméticos e computadores (26%).

Homens

– Eletrônicos (39%);
– Computadores (33%);
– Sapatos e livros (24%).

Novos meios de pagamento

Estimativas da Gartnet revelam que em 2017, as transações financeiras via celulares deve alcançar US$721 bilhões. Em 2020, mais de 50% de todos os pagamentos serão realizados por meio de dispositivos móveis na Europa. Pagamentos por celulares estão se consolidando no exterior e, aos poucos, devem ser incorporados no País. De acordo com estudo da Datafolha, 45% dos consumidores entrevistados já ouviram falar dessa modalidade de pagamento, sendo os mais interessados jovens e classes AB. Para viabilizá-la, a tecnologia Near Field Communication (NFC) é uma possibilidade.

O NFC é um sistema de proximidade entre dois dispositivos eletrônicos compatíveis, que trocam informações com segurança. Para isso, o campo de atuação da frequência é limitada para até 10 cm de distância, sendo necessária a proximidade para a troca de dados

“A segurança é a mesma dos chips instalados nos cartões de plástico. Para o lojista, a tecnologia NFC reduz as filas nos caixas porque as transações são mais rápidas que no sistema tradicional”, explica Raul Moreira, vice-presidente de Negócios de Varejo do Banco do Brasil, em entrevista ao portal Techmundo.

Entre as vantagens do sistema, está a facilidade e praticidade desta modalidade de pagamento. Entre os entraves, está o alto custo e investimentos necessários para adequação à nova tecnologia.

O Banco do Brasil, em parceria com a Cielo, lançou o Ourocard-e, que possui pagamentos por meio de NFC. Outras organizações estão atentas à tendência. O Itaú, em parceria com a Tim, MasterCard e Redecard lançou projeto de pagamento com NFC em 2013.

Na prática, o NFC funciona assim: 1) o lojista insere o valor da compra na máquina; 2) o cliente abre o aplicativo do banco e escolhe o cartão virtual e a modalidade (crédito ou débito); 3) o consumidor aproxima o celular do leitor da máquina e digita a senha; e 4) emissão do comprovante de compra.

Ações recomendadas

– Compreenda mais sobre o assunto e busque conteúdos relacionados, seja por meio da participação em palestras, cursos ou eventos. A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) oferece uma capacitação que ajuda a compreender melhor o tema. Trata-se do curso “Mercado de cartões: introdução, fundamentos e aplicações”;

– Confira os passos para aceitar pagamentos pelo cartão de crédito em seu estabelecimento. Para isso, é importante ter a empresa formalizada (a maioria das operadoras oferece serviços apenas para pessoas jurídicas) solicitar credenciamento da máquina de cartão de crédito (as mais utilizadas no Brasil são a Redecard e Cielo), além de possuir conta corrente, situação comercial adequada, linha telefônica ou wi-fi e energia elétrica;

– Pondere as vantagens de adoção de diferentes meios de pagamentos em seu negócio, verificando aumento das vendas, taxas, manutenção, segurança, entre outros aspectos. Importante atentar para as novas formas de pagamento que surgem no mercado, como as mobile. Para isso, mantenha-se atualizado por meio de sites especializados, como o da Abecs.

Fonte: Sistema de Inteligência Setorial