ExpectativasA edição de julho do Boletim Estudos & Pesquisas destaca que o Índice dos Gerentes de Compras da indústria dos Estados Unidos ficou em 51,9 pontos em junho, abaixo do registrado em maio (52,3 pontos). O índice de produção subiu para 53,5 ante 52,7; as encomendas domésticas pouco se alteraram e as externas diminuíram mais rapidamente. Porém, com a retomada de junho, acredita-se que as fábricas possam se recuperar no segundo semestre e ajudar a economia a crescer.

Apesar dos indicadores virem mostrando recuperação da indústria automotiva, do mercado imobiliário (epicentro da crise financeira de 2008) e a criação de empregos, continuam presentes as perspectivas de lenta recuperação da economia dos Estados Unidos este ano.

Na região do Euro, o Índice dos Gerentes de Compra Composto subiu de 47,7 pontos (maio) para 48,7 pontos (junho) mas ainda indica contração da atividade econômica. A subida refletiu o aumento da produção, o ritmo menor de queda dos novos negócios e a maior confiança dos empresários em relação às condições do futuro da região. A taxa média de desemprego, por sua vez, registrou novo recorde, atingindo 12,2%. Apesar disso, a inflação chegou a 1,6% em junho, mas ainda de encontra abaixo da meta de 2,0%.

Nas notícias setoriais, o boletim destaca que o setor de comércio varejista registrou alta de 0,5% no volume de vendas e de 0,8% na receita nominal em abril, em relação ao mês anterior.

Já a produção brasileira de calçados e artigos de couro registrou alta de 3,4% em maio deste ano, mesmo número alcançado em 2012, e acumula crescimento de 4,2% nos cinco primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2012.

A íntegra do boletim está disponível para download (em PDF).