020---01---Tecnologia aumenta capacidade produtiva da cachaça

A aguardente de cana-de-açúcar (cachaça) é reconhecida como uma bebida alcoólica tipicamente brasileira, sendo apreciada mundialmente e normalmente consumida como um drinque popularmente conhecido como caipirinha. O atual perfil de seus consumidores deixou de vincular o produto à ideia de bebida desvalorizada e de baixa qualidade, sendo comparada a destilados nobres como uísque e vodca. Características que só serão bem aproveitadas se acompanhadas por uma ferramenta especial: a tecnologia.

Dicas de investimentos

O nível tecnológico na produção vai depender da disponibilidade de recursos para investimento e da escala que se pretende produzir. Existem opções de equipamentos com elevado nível de automação, capazes de operacionalizar desde a seleção até o envase da bebida. O empreendedor deste segmento deve analisar com cuidado a relação custo-benefício e sua capacidade de investimento antes de decidir entre as diversas opções existentes no mercado.

Também é importante realizar uma pesquisa para saber o nível tecnológico dos concorrentes. Processos produtivos mais automatizados aumentam a capacidade produtiva, o nível de padronização dos produtos e, em geral, demandam menos mão de obra, reduzindo os custos da produção. Por outro lado, exigem investimentos mais elevados que podem comprometer a viabilidade e a rentabilidade do investimento.

Tecnologia mais utilizada

Com relação à tecnologia de produção normalmente utilizada, a primeira etapa diz respeito à recepção da matéria prima, onde se faz a pesagem e a seleção dos produtos em condição de processamento. A cana utilizada deve ser madura e fresca, características que interferem na qualidade do produto final. A etapa posterior refere-se à moagem da cana para obtenção do caldo que, por sua vez, é filtrado com o objetivo de eliminar impurezas.

O produto é ainda decantado, para eliminação de partículas não extraídas no processo de filtragem. Posteriormente, dão-se as etapas de fermentação e destilação. Na fermentação, são adicionados ingredientes (leveduras) como água potável, fubá de milho e farelo de arroz; enquanto que, na destilação, o produto fermentado é fervido em alambique, gerando vapores que são condensados por resfriamento. Após esses processos, a qualidade da bebida é aprimorada pelo envelhecimento.

Após o envelhecimento, a cachaça é envasada, normalmente em garrafas de 600 mililitros de vidro ou cerâmica. Nesse processo de envase, vale destacar que se deve fazer a filtragem do destilado envelhecido.

 

Faça a diferença, conheça outras importantes características do setor, acesse: http://www.sebrae2014.com.br/Sebrae/Sebrae%202014/Estudos%20e%20Pesquisas/Caderno%20de%20Conhecimento%20-%20Agronegocios.pdf