Usar aromas agradáveis e que tenham a ver com o seu negócio pode atrair a clientela

Por meio de cheiros, sabores, cores, texturas e sons que o Marketing Sensorial “seduz” e leva o consumidor às compras. A ideia é simples: permitir que o consumidor vivencie a marca, ao adquirir um produto, ou seja, o marketing sensorial tem a prerrogativa de tornar o produto ou serviço naquela experiência única. Desta forma, a estratégia passou a fazer parte do investimento das empresas, pois os benefícios justificam os custos: o cliente é atraído por sensações no momento da compra.

Num levantamento feito pela Voltage em parceria com a Bridge Research (especializada em mapeamento de tendências comportamentais), 45% dos brasileiros entrevistados querem marcas “mais amigas”. Este número evidencia que os negócios devem fortalecer o seu relacionamento com seus clientes a fim de agregar algo além de qualidade. Ainda segundo o estudo, as marcas devem conquistar o consumidor com honestidade, proximidade e transparência. O Marketing Sensorial pode justamente contribuir para que a empresa se aproxime da sua clientela.

Marketing Sensorial em shoppings

E como se diferenciar através do uso dos cinco sentidos? Num shopping com consumidores dos mais diversos perfis, uma loja poderia “convidar o cliente para entrar” usando desde uma vitrine muito bem elaborada – com produtos que mesclem cores e texturas e objetos que chamem à atenção pela maneira como estão expostos – até aplicando uma fragrância característica na porta da loja, o que induz o cliente a entrar naturalmente. A música também funciona como uma espécie de “trilha sonora da venda” e pode ser um fator a mais na decisão de compra.

Você sabe o que é Music Branding? A resposta é simples! Se a sua empresa fosse uma pessoa, que tipo de música ouviria? Esta é a ideia do Music Branding: personificar a sua marca através dos sons.

Como os cinco sentidos podem ser úteis a sua marca?

- Visão: os recursos visuais são os mais explorados nas ações de marketing. Cores, formatos e iluminação são facilmente percebidos, e por isso influenciam rapidamente as emoções e comportamento do consumidor, além de gerarem um posicionamento único e identificação com a marca. Agora, cuidado! Para obter bons resultados, é preciso aplicar pesquisas para conhecer o perfil dos seus clientes e utilizar os meios adequados para que eles se sintam satisfeitos.

- Audição: você sabia que o comportamento de uma pessoa pode ser influenciado diretamente pelo som que ela ouve? Por exemplo, o ritmo mais agitado de música deve ser usado quando se deseja um ambiente com grande rotatividade de consumidores. O cliente dança/compra no ritmo da música. Aqui também é preciso cuidado, pois a música pode tanto atrair quanto afastar clientes.

- Olfato: difusores e saches que espalham aromas e papeis de parede perfumados são maneiras de se personalizar ambientes. Atenção, a má utilização poderá causar transtornos como mal estar, alergias e enjoos afastando os clientes. Quando usado na dose certa, os consumidores são praticamente “empurrados” para dentro da loja ao perceberem o clima agradável proporcionado por um cheiro específico. Borrifar essências na entrada é um meio de manter o cheiro característico de um ambiente.

- Paladar: quando empresas oferecem chá ou café ou, até mesmo, bebidas mais sofisticadas, como vinho e champanhe, elas se sobressaem e agregam valor ao atendimento prestado. O paladar também é utilizado em inauguração de lojas, chegada de novas coleções e lançamento de produtos.

- Tato: Quem não gosta de ver um produto com as mãos? A valorização deste sentido demonstra qualidade ao cliente, pois ao tocar um objeto, ele percebe se é quente ou frio, áspero ou macio e seco ou úmido, ou seja, explora os detalhes do produto minuciosamente. Faz com que o consumidor sinta-se mais próximo do artigo.

Cuidado com os avisos de “não toque no produto” ou “não mexa na vitrine”. A estratégia de deixar alguns produtos à mostra para que os consumidores possam tocá-los é uma maneira de comprovar aquilo que se promete ao oferecê-lo.

O Marketing Sensorial é, portanto, uma ferramenta que auxilia na diferenciação da marca ao agregar valor aos produtos e serviços. Ele amplia os desejos ou facilita a interpretação da percepção existente sobre o produto. É importantíssimo saber quando e como utilizá-lo.

Edição: Fernanda Peregrino, da F&C Comunicação e Projetos